https://mariaremediosanto.blogs.sapo.pt/ www.instagram.com/mariamouraherself/

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Remédio Santo

Blog feito por uma Farmacêutica para todos! Com o intuito de ajudar e tirar dúvidas de forma simples e prática, sobre tudo o que se considera "Indicação Farmacêutica". www.instagram.com/mariamouraherself/

Blog feito por uma Farmacêutica para todos! Com o intuito de ajudar e tirar dúvidas de forma simples e prática, sobre tudo o que se considera "Indicação Farmacêutica". www.instagram.com/mariamouraherself/

Pele atópica

A dermatite atópica é um distúrbio pruriginoso e inflamatório crónico da pele, que ocorre principalmente na infância, caracterizado por recaídas e remissões.

 

Causas:

  • Tendência familiar
  • Pele seca
  • Rinite alérgica, asma, febre dos fenos
  • Níveis aumentados de IgE (anticorpo)
  • Alimentos (corantes e conservantes)
  • Alergenos (pó, pólen e ácaros)
  • Irritantes (sabão)
  • Factores ambientais (calor/humidade)
  • Stress (físico/psíquico)

 

Sinais e sintomas:

  • Descamação e secura
  • Eritema com prurido e inflamação -------------- é importante cortar as unhas das crianças (não arranhar)
  • Vesículas, placas e pápulas 
  • Se a afecção perdurar por mais de 2 semanas, o eczema estiver húmido (infecção), apresentar fissuras e sangramento, deverá ir imediatamente ao médico                             

 

Prevenção e algumas dicas:

  • Cortar as unhas bem rentes
  • Banhos não muito frequentes (2xs semana), com água tépida 15-20 minutos (não muito quente), adicionar óleo na última água do banho e deixar actuar 5 minutos
  • Utilizar uma tolha muito macia para remover o excesso de água e aplicar um creme emoliente (deve aplicar-se o creme 3xs ao dia para evitar desidratação)
  • Evitar comidas/alimentos que possam causar alergia
  • Evitar exposição solar excessiva
  • Preferir vestuário de algodão (evitar lã e nylon)
  • Atenção aos detergentes e amaciadores de roupa
  • Reduzir uso de sabões e banhos de espuma

                                                                                     

Dermatite-Atopica.jpg

 

O que levar na mala quando viajamos

Primeiro que tudo devemos recolher todas as informações possíveis sobre o destino escolhido, clima, previsão meteorológica para se adequar o vestuário e calçado, com o intuito de serem indicados e confortáveis.

 

Deve:

  • Beber muitos líquidos 
  • Marcar uma consulta do viajante com antecedência ( vacinas necessárias, conselhos, e medicação SOS)
  • Ir ao médico se logo depois/durante a viagem adoecer (febre, diarreia, vómitos, queixas urinárias ou vaginais)
  • Levar : analgésico (dores) + antipirético (febre), anti-diarreico e regulador intestinal, solução de re-hidratação (reposição de sais - perda líquidos por vómitos ou diarreia), anti-obstipante (obstipação), repelente de insectos, protector solar, gel pós picadas de insectos, comprimidos anti-enjoo, pensos rápidos, desinfectante de feridas, álcool-gel (mãos), a sua medicação habitual, termómetro.

 

Evitar:

  • Alimentos crus que não possam ser descascados
  • Gelo ou água não engarrafada
  • Andar descalço ou mesmo usar sapatos demasiado abertos (perigo de feridas e infecções)

                                                                                         

43-category.jpg

 

Diabetes na gravidez

A diabetes gestacional pode ser detectada através da análise ao sangue. O teste mais frequente consiste na medição do açúcar 1h após a toma de 75 gr de glucose dissolvidos em água.

O teste deve ser feito entre as 24-28 semanas de gravidez, com repetição pelas 32 semanas.

Um valor ≥ 92mg/dl em jejum é já um sinal de alerta que necessita de confirmação.

 

Factores de risco:

  • ˃ 35 anos
  • Antecedentes familiares de diabetes
  • Obesidade
  • Diabetes gestacional em gravidez anterior

 

O que fazer caso seja diagnosticada diabetes na gravidez (gestacional):

  • Exercício físico
  • Cuidados alimentares (diminuir ingestão de hidratos de carbono)
  • Teste periódicos ao sangue
  • Em último caso insulina (temporariamente)
  • 2 meses após o parto ou no final do período de amamentação devem fazer-se novas análises para saber se os níveis normalizaram
  • As mulheres que tiveram diabetes gestacional têm ˃ probabilidade de vir a ter diabetes tipo 2 futuramente. Esta geralmente está directamente ligada a maus hábitos de vida, factores genéticos, consumo excessivo de açúcares, sedentarismo e obesidade.

                                                                                 

253230_503463006369093_1982882969_n.jpg

 

Mais sobre mim

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D