Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Remédio Santo

Blog feito por uma Farmacêutica para todos! Com o intuito de ajudar e tirar dúvidas de forma simples e prática, sobre tudo o que se considera "Indicação Farmacêutica". instagram: mariamourashappymoments

Blog feito por uma Farmacêutica para todos! Com o intuito de ajudar e tirar dúvidas de forma simples e prática, sobre tudo o que se considera "Indicação Farmacêutica". instagram: mariamourashappymoments

Como prolongar o uso da sua máscara

O ideal seria descartar qualquer máscara após a sua utilização independentemente do tempo que a utilizámos. Mas a realidade é bem diferente, as máscaras são caras e escassas. Por isso mesmo vou ensinar a rentabilizarmos os seu uso:

 

  • Máscaras cirúrgicas  (tempo de utilização máximo 4-6h)

- Desde que não as tenha utilizado num local altamente infectado como hospital/ centro de saúde, poderá reutiliza-las borrifando com álcool a 70º deixando evaporar e secar totalmente e usando um lenço de papel  dobrado dentro da máscara

 

  • Máscaras FFP2  (tempo de utilização máximo 8-10h)

- Desde que não as tenha utilizado num local altamente infectado como hospital/ centro de saúde, poderá reutiliza-las borrifando com álcool a 70º deixando evaporar e secar totalmente e utilizando uma máscara cirúrgica ou comunitária (de tecido) por cima da FFP2

 

Muito importante:

As máscaras comunitárias (de tecido laváveis) são as que conferem menor protecção, comparando com as cirúrgicas e FFP2.

N95 e FFP2 conferem a mesma protecção, são equivalentes.

As FFP3 são as mais eficientes, só sendo necessárias a nível hospitalar.

A válvula existente em algumas máscaras facilita a respiração do próprio utilizador mas diminui a protecção das pessoas em redor. Conferem menos protecção aos outros.

As máscaras cirurgicas que apresentem 2 cores (ex: verde/ azul de um lado e branca do outro) só estarão bem colocadas se a parte colorida for a exterior e a branca o interior (cor para fora e branco para dentro).

732883.png

Ffp2-Máscara-Tucano-5e90053d68f05.jpg

 

032f7bf-005.jpg

 

Cuidados a ter no uso de máscara

A máscara deve ser usada SEMPRE , excepto em casa (só se estiver doente). Deve ser bem utilizada para não propagarmos a doença, seguindo estes simples passos:

 

  • Lavar bem as mãos com água e sabão e passar álcool em gel

 

  • Pegar e colocar a máscara  somente pelos elásticos/atilhos

 

  • Parte colorida para fora, parte branca para dentro

 

  • Com a parte metálica para cima (rígida), ajusta-la ao nariz, para não haver fugas

 

  • Devemos ter o nariz e boca tapados

 

  • Não levar mais as mãos à máscara a partir de agora. A parte exterior da máscara irá contaminar-se

 

  • Duração máxima da máscara são 4-6h ou sempre que esteja húmida, deverá descarta-la

 

  • Para retira-la, pegamos novamente pelos elásticos/atilhos, colocamos num saco de plástico, fechamos e só depois no nosso contentor do lixo indiferenciado

 

  • Lavar bem as mãos com água e sabão e passar álcool em gel

 

mascara-cirurgica.png

 

Se não tiver como obter uma máscara cirurgica ou FFP2, deixo aqui uma alternativa á qual todos podem ter acesso:

 

mascara-diy_2_v3.jpg

 

 

Diferenças entre máscaras FFP1, FFP2 e FFP3

Nem todas as máscaras são iguais, não servem para as mesmas actividades e não protegem dos mesmos perigos.

 

As máscaras de papel basicamente não protegem, deve mesmo evitar o uso das mesmas. As normais máscaras cirúrgicas, não oferecem uma protecção eficaz contra vírus, de qualquer modo são melhores que as de papel e no caso de não ter umas FFP2, será sempre melhor do que não usar nada.

 

As FFP1 - Protecção contra partículas sólidas, com baixo grau de toxicidade específica (partículas, névoas e fumos não tóxicos)

 

As FFP2 - Protecção contra aerossóis sólidos/líquidos, perigosos/irritantes (partículas, fumos e aerossóis tóxicos) - alto poder de retenção

 

As FFP3 -  Protecção contra aerossóis sólidos/líquidos, muito tóxicos (partículas, fumos e aerossóis tóxicos e potencialmente cancerígenos) - máximo poder de retenção

 

Ora bem para uma protecção eficaz contra um vírus temos que utilizar pelo menos umas FFP2 

 

Como farmacêutica e neste panorama actual, aconselho o uso de máscara nas seguintes situações:

 

  • Sempre que esteja doente (diminui propagação)

 

  • Quando se dirige a um local fechado com várias pessoas onde não conseguimos manter a distância social exigida (supermercado, hospital, farmácia, transportes públicos)

 

Mais importante que máscara é a desinfecção constante das mãos com álcool em gel ou álcool a 70º e lavagem adequada das mãos com água e sabão durante 20 segundos.

10-mascaras-antivirus-filtro-ffp2-com-valvula-homo

 

Qual a diferença entre o álcool a 70º e 96º afinal?

O álcool etílico (etanol) é considerado um anti-séptico e desinfectante de nível intermédio:

 

  • Desinfeção de superfícies de mobiliário e instrumentos/equipamentos, termómetros, diafragmas e olivas de estetoscópios, bandejas de medicação, ampolas e frascos de medicamentos, fibra óptica de endoscópios;

 

  • Antissepsia da pele/mãos, por profissionais de saúde, antes de injecções e punções.

 

Não aplicar sobre mucosas, tecidos lesados (o álcool etílico pode ser irritante), ferimentos abertos (devido ao risco de aumentar a lesão e promover o aparecimento de um coágulo sobre o qual as bactérias podem crescer e supurar o ferimento).

 

Mas se o álcool 70% é menos concentrado, por que é mais eficiente?

 

 A razão por trás disso é o modo de acção do álcool 70%.

 

O álcool 70% possui concentração óptima para o efeito bactericida, porque a desnaturação das proteínas do microrganismo faz-se mais eficientemente na presença da água, pois esta facilita a entrada do álcool para dentro da bactéria e também retarda a volatilização do álcool, permitindo maior tempo de contacto. Nessa concentração o etanol destrói bactérias, fungos e vírus.

 

O álcool 96% para desinfecção, ocorre uma coagulação extremamente rápida, não havendo penetração no interior da célula e, portanto, não matando o micróbio. Essa actuação ineficaz ocorre devida à rápida volatilização do etanol nessa concentração.

 

O grau de hidratação é um factor importante para a actividade antimicrobiana. Mas como chegaram à conclusão de que a concentração 70% é melhor do que em 50%, 60% ou 80%, por exemplo? Muitas pesquisas foram conduzidas, concluindo que uma boa actividade germicida ocorre entre 50 a 70%, sendo a máxima em 70% de diluição.

 

alcool-etilico-250-ml-fergus-24-.jpg

 

Coronavírus 2019 - o que todos precisamos saber

COVID-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. A infecção pode ser semelhante a uma gripe ou em casos mais severos, uma pneumonia.

 

Propagação

  • Por gotículas (tosse, espirros) em contacto com os olhos, nariz e boca

 

Screenshot_2020-02-28-21-12-32_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-12-42_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-12-51_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-13-00_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-13-14_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-13-29_2.png

Screenshot_2020-02-28-21-13-42_3.png

Screenshot_2020-03-02-21-35-18_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-35-26_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-41-41_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-35-44_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-35-54_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-36-05_2.png

Screenshot_2020-03-02-21-36-14_2.png

As pessoas mais susceptíveis de serem infectadas são pessoas imunodeprimidas (sistema imunitário comprometido) e pessoas a partir dos 70 anos.

Como tal devemos primeiro que tudo melhorar o nosso sistema imunitário, fazendo vitamina C, equinácea, geleia real, entre outras (peça ajuda ao seu farmacêutico).

Utilizar desinfectantes de mãos sempre que não seja possível uma lavagem de mãos eficaz.

Evitar locais como cinemas, salas de espectáculo, centros comerciais, hospitais (caso não seja possível evitar uma ida ao hospital deve usar máscara, tipo FFP2 ou FFP3 com filtro).

O que fazer na dor ciática

Ciática

A inflamação do nervo ciático é bastante dolorosa e demora algum tempo a tratar

 

Sintomas

  • Dor intensa geralmente na perna direita, podendo começar no glúteo/ atrás da coxa e descer pela perna
  • Dor piora sentado
  • Sensação de fraqueza (falta de força) na perna
  • Dormência na nádega ou perna
  • Sensação de choque pela perna abaixo
  • Para ter certeza do diagnóstico médico deverá fazer-se alguns exames como a ressonância magnética, TAC

 

nervo-ciatico_16835_l.jpg

 

Tratamento

  • Repouso absoluto não é recomendado, não deve passar o tempo deitado nem sentado
  • Pode fazer analgésico e anti-inflamatório em SOS (prescrito pelo médico)
  • Exercícios de alongamento é mesmo o mais eficaz, feitos com contenção e quando a dor é suportável (1 a 2x dia)

 

Exercícios de alongamento

exercicios-para-nervo-ciatico-inflamado_32215_l.jp

 

Prevenção

  • Pilates clínico feito com fisioterapêuta, com exercícios para reforçar o abdómen, protegendo toda a nossa coluna

reforço abdomen.jpg

  • Caminhadas

 

Como calcular a dose de uma solução/xarope

Quantas vezes veio para casa sem saber que dose administrar de xarope para o seu filho? Claro que nós farmacêuticos ajudamos sempre que haja dúvida, e que seja necessário calcular, tendo em conta o peso e idade da criança. Mas deixo aqui uma ferramenta útil para que todos os pais possam utilizar, conscientemente, a dose correcta de medicação oral na forma líquida:

https://www.serfarma.pt/pt/calculadora-de-doses

Por favor em caso de dúvida consulte o seu médico ou farmacêutico

 

xarope-de-abacaxi.jpg

 

 

 

 

 

 

Sinusite e seus tipos

Sinusite

Inflamação da mucosa dos seios da face.

 

Viral

  • mais comum, geralmente consequência de um resfriado
  • obstrução nasal
  • corrimento nasal amarelado ou esverdeado
  • dor garganta
  • febre até 38ºC

 

Alérgica

  • consequência de crise alérgica 
  • comichão nos olhos, nariz
  • vermelhidão ocular

 

Bacteriana

  • mais rara, causada por bactéria
  • febre acima de 38,5ºC
  • secreção purulenta pelo nariz e garganta
  • mais de 10 dias

 

Fúngica

  • em casos de sinusite persistente
  • pode não haver secreção nasal nem febre, apenas dor localizada na face
  • sintomas persistentes

 

Caso apresente dor na face, febre, secreções purulentas, deve procurar um clínico geral ou otorrino. Para melhor diagnosticar o tipo de sinusite, pode ter que se recorrer a raio-x e análise sanguíneas.

 

Tratamento

  • analgésicos, anti-inflamatórios ou corticóides - se sintomas não passarem dos 10 dias
  • antibiótico (prescrito pelo médico) - se sintomas forem mais intenso, durarem mais de 10 dias e forem acompanhados de febre

 

Factores de risco

  • desvio do septo nasal
  • grandes variações climáticass
  • alergias
  • ambientes com poeiras, sujos, poluição

 

Prevenção

  • lavagem diária das fossas nasais com água morno e sal ou soro fisiológico
  • beber muita água (muco menos denso)
  • manter casa limpa (prevenção de alergias)

 

 

1280px-Paranasal_sinuses_numbers.svg.png

1- frontal

2- etimoide

3- esfenoide

4- maxilar

 

 

Queda de cabelo

A queda de cabelo surge geralmente após o verão (início do outono) e na primavera. O ideal é prevenirmos essa situação, iniciando o tratamento adequado no final de Agosto até Janeiro, e de novo no final de Março até Junho. Além de uma alimentação variada e saudável todo o ano podemos ajudar com suplementos, champô específico e tónico ou ampolas.

 

Para uma queda moderada aconselho:

  • Champô sem sulfatos anti-queda e fortificante
  • Cápsulas anti-queda que contenham serenoa repens (palmeto) e biotina a 5000ug
  • Spray/loção - minoxidil a 5% (utilizar todos os dias após jantar, no couro cabeludo massajando)

 

Para uma queda muito severa aconselho:

  • Procurar um dermatologista
  • Irá provavelmente ter que utilizar alguns químicos que só poderão ser vendidos com prescrição médica, como a finasterida 1mg no caso dos homens e a dutasterida 0,5mg ou finasterida 5mg no caso das mulheres
  • Champô sem sulfatos anti-queda e fortificante
  • Cápsulas anti-queda que contenham serenoa repens (palmeto) e biotina a 5000ug
  • Spray/loção - minoxidil a 5% (utilizar todos os dias após jantar, no couro cabeludo massajando)

 

queda-de-cabelo-o-que-pode-ser_29717_l.jpg

 

Como distinguir os diferentes tipos de conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação ou infecção na conjuntiva dos olhos. Existem 3 tipos de conjuntivite:

 

Conjuntivite infecciosa

  •  vírus, bactéria ou fungo
  • comichão, ardor, vermelhidão
  • secreções amareladas, pestanas coladas ao acordar, principalmente se bacteriana, na víral são brancas e com menor secreção
  • contagiosa, lavar bem as mãos, usar toalhas próprias, não mexer nos olhos
  • usar colírio/pomada prescrita pelo médico

 

Conjuntivite alérgica

  • pólen, poeira, pêlos de animais
  • afecta pessoas susceptíveis a alergia (rinite, bronquite)
  • primavera e outono
  • não contagiosa
  • usar colírio anti-alérgico

 

Conjuntivite tóxica

  • produtos químicos, fumos, pequenos objectos que entram nos olhos
  • lacrimejo, vermelhidão
  • não contagiosa
  • usar soro fisiológico estéril e fazer lavagem

 

32703083.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D